Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desumidificador

Desumidificador

E qual é o problema?

A tendência política internacional que tem marcado os últimos anos consiste no esvaziamento do centro (Freitas do Amaral deve sentir-se mais sozinho que nunca) e no crescimento dos extremos à esquerda e à direita. Contrariamente ao que alguns previam, as diferenças e a hostilidade entre os dois campos políticos acentuaram-se e inviabilizaram consensos ao centro. Ser moderado é actualmente bem mais difícil que nos anos 90, quando o capitalismo e a União Europeia pareciam um sucesso imparável. De resto, a lógica dos media e das redes sociais favorece o confronto e a divisão dos eleitores em grupos estanques.

 

Em Portugal, a crise económica e os sucessivos abalos políticos, como o ódio (e algum amor) gerado por José Sócrates, a humilhação da intervenção externa, a dureza das medidas de austeridade ou a surpreendente formação da Geringonça, contribuíram para uma maior “crispação” e agressividade no debate parlamentar e nas relações inter-partidárias, embora, no fundo, a radicalização seja mais aparente que real (não estamos nos EUA ou no Brasil). Os dois maiores partidos, base dos antigos “Bloco Central” e “arco da governação”, encontram-se de costas voltadas. No PS, os “assistas” são minoritários e acusados de desvio ideológico, enquanto o PSD “antigo” é diariamente sufocado pelos “ultras” das colunas de opinião, mais revolucionários que o Comité Central do PCP. A aliança entre António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa não é acompanhada pelos respectivos partidos.

 

E qual é o problema? Passámos anos sem fim a ouvir que o PS e o PSD eram iguais e governavam da mesma maneira, num novo rotativismo. Agora, pelo menos, existem duas alternativas distintas, claras para o eleitor e com diferentes aliados. O centro tanto pode ser um ponto de equilíbrio de interesses opostos como um pântano onde se reproduzem os Durões Barrosos. Não me interpretem mal, de revolucionário não tenho nada, mas a moderação em excesso é irritante.