Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desumidificador

Desumidificador

História imaginária do desporto

1. O Clube que Nasceu Duas Vezes. História e memória das origens do Futebol Clube do Porto

 

Tema: Investigação sobre o surgimento e actividade inicial dos dois clubes chamados FC Porto criados em 1893 e 1906, acompanhada de uma síntese da evolução do debate em torno das origens portistas e da sua reprodução em meios como imprensa, bibliografia ou projectos museológicos.

Objectivos: O FC Porto possui a característica singular de ter alterado a partir de 1988 a história da sua fundação até aí difundida nos meios oficiais do clube, recuando a data de origem da colectividade de 1906 para 1893. O objectivo do projecto seria ajudar a esclarecer os acontecimentos verificados na transição entre os séculos XIX e XX, sem pretender estabelecer uma versão definitiva dos primeiros anos do FCP, mas sim questionar lacunas e contradições das duas narrativas fundacionais, tal como analisar a presença da “polémica 1893/1906” em vários suportes e contextos desde a década de 50.

Problemas: Apesar da minha ligação emocional à cidade do Porto, não possuo um conhecimento relativamente amplo da história contemporânea da Invicta, essencial para servir de base à pesquisa a realizar nos arquivos e periódicos portuenses. Obter a colaboração do FC Porto com o projecto seria muito difícil devido à necessidade de examinar criticamente a narrativa apresentada pelo clube nas últimas décadas. Não é ainda possível saber se a dimensão do material a recolher e do texto inédito a que daria origem permitiria criar um livro comercialmente viável.

 

 

2. “Desporto Novo num País Novo”: A política desportiva no pós-25 de Abril (1974-1978)

 

Tema: Um estudo da política desportiva no período dos Governos Provisórios e dos dois primeiros Governos Constitucionais, analisada, por um lado, relativamente às medidas tomadas pelos organismos estatais com a tutela do desporto e, por outro, ao nível do debate público sobre a promoção da prática desportiva em Portugal.

Objectivos: A actividade desportiva não passou ao lado da intensa politização do período revolucionário, surgindo então diferentes perspectivas teóricas sobre o desporto e a democratização do acesso à sua prática. Tendo em conta a possibilidade de distinguir dois períodos em que a tutela política do desporto foi dominada por elementos ligados ao PCP e MDP/CDE (1974-1976) e mais tarde ao PS (1976-1978), interessaria comparar os discursos e medidas governamentais nas duas fases, acompanhadas pela ampla discussão sobre ambos ocorrida na imprensa (partidária, desportiva e generalista) e na bibliografia da época.

Problemas: Neste caso, a informação reproduzida nas fontes impressas revela-se insuficiente, na medida em que persiste a incógnita sobre a forma como o discurso oficial de democratização desportiva se traduziu ao nível do terreno e os níveis de adesão popular que despertou. Seria necessário realizar numerosas entrevistas, quer aos responsáveis políticos da área desportiva de 1974-1978 quer a participantes (atletas, dirigentes, monitores, etc.) nas várias iniciativas então dinamizadas, com vista a uma melhor compreensão de uma realidade conhecida apenas através das descrições inevitavelmente parciais e incompletas feitas por personalidades ligadas a diferentes sectores políticos.

 

3. História do Desporto no Município de Odivelas

 

Tema: Uma síntese da actividade desportiva registada no território do actual concelho de Odivelas entre o início do século XX e o presente.

Objectivos: A periodização esboçada incluiria capítulos balizados pelas datas de 1945 (fim das “origens” e fundação definitiva do Odivelas FC), 1974 (25 de Abril e boom do associativismo) e 1998 (criação do município odivelense). Através da evolução da prática desportiva, centrada inicialmente nas colectividades e mais tarde dotada de uma forte componente informal, poderíamos analisar as transformações sofridas por Odivelas e povoações circundantes, palco de um rápido crescimento demográfico acompanhado por equipamentos públicos insuficientes e um movimento associativo de dimensões reduzidas, tendo em conta a expansão da população odivelense. Algumas páginas do Facebook dinamizadas por cidadãos de Odivelas divulgam fontes que seriam úteis caso fossem devidamente catalogadas.

Problemas: Os clubes actualmente existentes no território do concelho de Odivelas são geralmente pequenos e não possuem arquivos disponíveis, enquanto o fim do Odivelas FC gerou, além da perda de património e documentação, versões desencontradas quanto à origem e responsabilidades da derrocada do clube. A obra pretendida necessitaria do apoio e financiamento das autarquias locais, difíceis de obter numa altura em que a consagração de Odivelas como Cidade Europeia do Desporto foi prejudicada pelos efeitos da pandemia de Covid-19.

 

 

4. Esférico: Revista de Estudos de História do Desporto

 

Tema: Revista académica online em formato PDF composta por artigos dedicados à história do desporto e aberta à colaboração de investigadores de várias ciências sociais.

Objectivos: O crescimento nos últimos anos do número de investigadores lusófonos com trabalho produzido na área da história do desporto criou um “meio” em expansão que se pretende transformar em comunidade através da organização de uma revista trimestral (ou semestral) sobre o tema, centrada sobretudo nos casos de Portugal e das ex-colónias, mas disponível para acolher estudos geográfica e tematicamente diversificados, visando incentivar o debate e a divulgação de novos contributos para o conhecimento do passado do desporto na sua relação com a sociedade.

Problemas: A verba auferida pelos coordenadores e colaboradores de Esférico (ou de outro título a escolher para o periódico) rondaria os zero euros, valor pouco atractivo na actual conjuntura e insuficientemente compensado ao nível da divulgação do trabalho historiográfico. Por outro lado, a discussão inerente a um projecto deste tipo, que incluiria a publicação de recensões e artigos com posições diversas, poderia ofender sensibilidades dentro do universo ainda limitado de autores e implicar recusas de colaboração.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.