Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desumidificador

Desumidificador

Pedaços dos anos 90

Algumas frases da música, da televisão e da publicidade que ouvi na infância e recordarei para sempre, mas que os meus sobrinhos nunca irão compreender:

 

“O algodão não engana”

“Assim vão as glórias do mundo”

“Até que idade é que pensas divertir-te?”

“Branco mais branco não há”

“Cabecinha pensadora…”

“Comigo ripa na rapaqueca”

“O drama, a tragédia, o horror”

“E dura, e dura, e dura…”

“É o bicho, é o bicho, vou te devorar, crocodilo eu sou”

“É fácil, é barato, dá milhões”

“É pudim Danone, não pares, não pares”

“Faltou-te um bocadinho assim”

“Haja sempre esta sede de vencer por Portugal”

“Isto é para os apanhados!”

“O juiz decidiu, está decidido”

“Lá fora tá-se pior. Tá-se, tá-se…”

“O leão mostra a sua raça”

“Leite (não) é juventude”

“Mais cedo ou mais tarde, o seu diário”

“Marco Bellini é que sabe”

“Mimi, apita aí”

“Na casa do tio Carlos há festa todo o dia”

“Nada se compara ao prazer de escolher”

“OK, meu!” “Meu?!” “Meu… mestre”

“Ó mãe, aquele môce bateu-me”

“Pegue no auscultador, Ideia Casa AO SEU DISPOR”

“Ponha, ponha, ponha, ponhaaaa…”

“O primo Silvestre tem cara de extraterrestre”

“Rodas tu, rodo eu, roda o mundo pelas estradas do céu”

“Servir bem, bem servir, dá saúde e faz sorrir”

“Sobral de Monte Agraço já tem um parque infantil”

“Somos a águia que no céu vai voar”

“Tou xim?”

“A tradição já não é o que era”

“Tudo começou há muito tempo atrás, na ilha do Sol”

“Um abraço neste ponto de encontro”

“Vá para fora cá dentro”

“Vamos mostrar ao mundo a força do dragão”

“Vamos nessa, Vanessa”

“Vida sem droga, sida estou fora”